Euvaldo Jorge cobrou mais informações da Agerba e da Internacional Marítima

Presidente da Comissão de Transporte, Trânsito e Serviços Municipais da Câmara Municipal de Salvador, o vereador Euvaldo Jorge (PP) presidiu audiência pública, na manhã desta terça-feira (14), no auditório do Edifício Bahia Center, anexo da Casa Legislativa, para debater os problemas enfrentados pelos usuários do sistema ferry-boat.

Para diminuir o tempo de espera nas filas, aprimorar as estruturas dos ferries e dos atracadouros e melhorar as condições na travessia Salvador-Bom Despacho, Euvaldo Jorge cobra maior empenho da Internacional Marítima, empresa que administra o sistema, e da Agência Estadual de Regulação de Serviços Públicos de Energia, Transportes e Comunicações da Bahia (Agerba).

“Sabemos que (o sistema ferry-boat) já está muito melhor sob a administração da Internacional Marítima. A população nos cobra e precisamos saber de detalhes da operação. Melhoria dos atracadouros e das embarcações, prazos e novidades. Sabemos que a população cresceu e que a estrutura dos ferries não acompanhou. Temos que lutar para melhorar o sistema para que os usuários não continuem sofrendo ao fazer a travessia”, declarou Euvaldo Jorge.
O vereador ainda lamentou a ausência de um representante da Internacional Marítima e lembrou a importância da proposta de integração de ônibus direcionados à região do ferry-boat nas datas especiais de maior utilização da travessia Salvador-Bom Despacho.

Ponte Salvador-Itaparica

O coordenador da Agerba, Neomilton Nogueira, explicou que a agência coordena e fiscaliza terminais aeroviários, rodoviários e hidroviários e que o sistema ferry-boat engloba, além de São Joaquim e Bom Despacho, a Travessia Salvador Mar Grande.

Sobre a renovação das embarcações, Nogueira garantiu que a Agerba já está se movimentando, independentemente do projeto da ponte entre Salvador e Itaparica.

“Foi feita uma concessão e não estamos esperando de braços cruzados a ponte Salvador-Itaparica. Já existe uma proposta de melhoria das embarcações do sistema ferry-boat, que vai ser executada dentro do planejamento e do plano de trabalhos da Internacional Marítima. A Agerba tem profissionais nos terminais de Salvador e Bom Despacho para fiscalizar a operação”, explicou Neomilton Nogueira.

“Novos tempos”

Para o secretário municipal de Mobilidade Urbana, Fábio Mota, a capital baiana vive “novos tempos” em relação à melhoria das condições do transporte público e o sistema ferry-boat tem a obrigação de acompanhar a evolução. “Salvador passa por uma grande transformação no âmbito do transporte público e o ferry-boat faz parte deste conjunto”, argumentou.

Integrante da Comissão de Transportes, o vereador Alberto Braga (PSC) reiterou a necessidade de aumentar “o planejamento e a organização do sistema ferry-boat para melhorar a qualidade do serviço prestado”.
O vereador Eliel de Souza (PV) também marcou presença na audiência pública.

Fonte: http://www.cms.ba.gov.br/noticia_int.aspx?id=9571